BRUMADO – SENHOR BOM JESUS

Espiritualidade e fé marcam a Semana Santa na Diocese de Caetité

17-04-2017 | Da Redação

Considerada a semana Maior pela Igreja Católica, a Semana Santa foi um momento de muita espiritualidade nas paróquias da Diocese de Caetité. Unidos pela mesma fé, a comunidade diocesana celebrou a Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo, que teve início com o Domingo de Ramos e a recordação da entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, aclamado como o Messias, o Filho de Deus.

Na Paróquia Santo Antônio, em Caraíbas, a Segunda-feira Santa foi de visitas a doentes e idosos, um gesto muito praticado por Jesus. Em Igaporã, Paróquia Nossa Senhora do Livramento, a comunidade celebrou a Missa do Depósito do Senhor dos Passos e, ao final da celebração, a imagem foi levada em procissão até o Hospital Municipal, onde permaneceu até a Quarta-feira Santa.

Na Terça-feira Santa, ainda em Igaporã, foi a vez da Missa do Depósito de Nossa Senhora das Dores, que, em seguida, foi levada pelos fiéis para a Capela Sagrado Coração de Jesus, no Alto do Cruzeiro. As duas imagens se encontraram no dia seguinte, durante a Procissão do Encontro, que também foi realizada por várias outras paróquias da diocese.

Na Quarta-feira Santa teve confissões em várias comunidades da Paróquia Bom Jesus, em Brumado. Em Caraíbas houve mutirão de confissões na igreja Matriz, com a presença dos padres Rogacionistas. Em Caculé, Paróquia Sagrado Coração de Jesus, foi celebrada a Missa pelos idosos e enfermos. Os fiéis foram ungidos pelo Óleo Santo e receberam a Eucaristia.

Na Quinta-feira Santa, dia em que Jesus instituiu a Eucaristia, as paróquias celebraram a Ceia do Senhor, que tradicionalmente é conhecida como a Missa do Lava-pés. Na Paróquia Senhora Sant’Ana, em Piripá, 12 homens representaram os 12 apóstolos de Cristo para o momento do lava-pés. O gesto exprime o sentido da vida e da paixão de Cristo, que se colocou a serviço de Deus e dos irmãos.

Na Sexta-feira Santa, no horário em que, segundo a tradição, Jesus foi morto, às 15h, as paróquias celebraram a ação litúrgica, com a adoração da cruz. A celebração é marcada pelo silêncio e reflexão. É o único dia do ano em que a Igreja Católica não celebra a Santa Missa nem os Sacramentos. Em algumas paróquias teve encenação da Paixão de Cristo. Foram assim em Condeúba (Paróquia Santo Antônio), Palmas de Monte Alto (Paróquia Nossa Senhora Mãe de Deus e dos Homens), Brumado (Paróquia Bom Jesus) e em várias outras. As cenas que mostraram o sofrimento de Jesus emocionaram o público. Na Paróquia Santo Antônio, em Guanambi, a sexta-feira da Paixão terminou com a procissão com a imagem do “Senhor Morto” e o tradicional “Beija-pé”.

No Sábado Santo, a vigília pascal é considerada o coração do Ano litúrgico. Nessa celebração, o círio pascal é aceso, representando Jesus Ressuscitado que venceu a morte e ilumina o mundo. Em Caetité, paróquia-mãe da diocese, a vigília começou em frente à Catedral, com a benção do fogo. Dentro da igreja, Dom Carvalho abençoou a água, batizou os catecúmenos, que também receberam o Crisma e a Primeira Eucaristia. Parte da celebração foi celebrada à luz de velas, como recomenda a liturgia. Na Paróquia Nossa Senhora da Imaculada Conceição, em Macaúbas, a vigília pascal, realizada na praça de eventos, foi acompanhada por uma multidão de católicos.

No domingo da Ressurreição, Caetité celebrou a Páscoa da Juventude, um convite aos jovens para também ressuscitarem com Cristo e se alegrarem pela ressurreição. No trio elétrico, o ministério de música Missão Glorificai animou os jovens de vários lugares da diocese e percorreu várias ruas da cidade. Na Paróquia Bom Jesus, em Malhada de Pedras, também teve Páscoa da Juventude. O encontro, que reuniu  paróquias vizinhas, contou com apresentações de dança, momentos de oração e pregação. Foi encerrado no início da noite com a celebração da Missa de Páscoa.